Escolas planejam retorno no próximo Carnaval

Escolas planejam retorno no próximo Carnaval

Depois de cancelamentos sucessivos, agremiações discutem formas de financiamento para os desfiles, entre estas a Lei Rouanet.

78
0
Compartilhar
Foto: Decom/PML

Foi há quatro anos a última vez em que as escolas de samba de Laguna – cidade que faz um dos mais famosos Carnavais do estado – realizaram um desfile de fato, sem ser mera formalidade. Naquele ano de 2013, cada uma das cinco agremiações recebeu R$ 150 mil do Estado para desfilar no sambódromo Hindemburgo Moreira, com direito à disputa pelo título. Com exceção de 2016, quando promoveram um desfile de pequenas proporções no Centro histórico apenas para cumprir tabela, de 2014 para cá elas deixaram de ir à rua por falta de dinheiro.

Mas parece que esse histórico de cancelamentos sucessivos está ficando para trás. Em sua primeira reunião, na segunda-feira passada, a Liga Independente das Escolas de Samba de Laguna (Liesla) deu início à discussão de ideias para viabilizar a volta ao Carnaval no ano que vem. Porém, o presidente da entidade, João de Sousa Júnior, adianta que ainda não dá para abrir mão da ajuda governamental. “Acredito que sem o apoio financeiro do poder público é muito difícil, seja municipal, estadual ou federal”, afirma, citando o exemplo de outros Carnavais que dependem do apoio dos governos, como o do Rio.

Para botar o bloco na rua, a Liesla enviou ao Ministério da Cultura um projeto para captação de recursos via Lei Rouanet. Sousa Junior conta ainda que, durante o Carnaval deste ano, a liga mandou ofício ao prefeito Mauro Candemil solicitando audiência com vistas ao desfile de 2018.

O grupo planeja buscar apoio de entidades locais, como Associação Comercial e Industrial de Laguna (Acil) e Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), além de, no momento, estar preparando um projeto a ser encaminhado ao governo do estado. As escolas também estão concorrendo com o projeto social “Oficinas do Samba” no Fundo para Infância e Adolescência (FIA), um fundo público que financia ações que atuam na garantia da promoção, proteção e defesa dos direitos desse público.

Se a proposta for aprovada, as agremiações irão oferecer aulas de artesanato, dança, percussão e produção textual literária a crianças e adolescentes de seus bairros.

Liesla promete pré-Carnaval no Centro da cidade

A proposta da Liesla é voltar ao Hindemburgo Moreira no próximo ano, com desfile oficial no sábado ou na segunda-feira, e fazer, no Centro, uma apresentação de encerramento do Carnaval na terça-feira. Para isso, as escolas devem solicitar em breve à Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) providências para a recuperação do sambódromo, que está bastante danificado, segundo Sousa Júnior.

As escolas também projetam manter no Centro o pré-Carnaval, período de ensaios na rua que antecede o desfile oficial, com direito a baterias, cantores, casais de mestre-sala e porta-bandeira, entre outros segmentos. A ideia é que o pré tenha novamente 30 dias de duração, como ocorria nos velhos tempos da folia em Laguna.

Sambódromo pode receber desfile regional

Na avaliação de Sousa Júnior, o Carnaval de escola de samba começou a enfraquecer a partir de 2014, com a perda de apoio de município. “Foi um erro gravíssimo. A cidade perdeu muito”, opina. Ainda assim, ele acha que as agremiações podem recuperar o antigo prestígio, com ajuda da sociedade local e do poder público. “O que não pode é realizar o Carnaval ano sim, outro não. Isso não podemos mais deixar acontecer”, defende.

Também dando início às discussões para resgatar seu Carnaval, a prefeitura de Tubarão está convocando os interessados para tratar do assunto, após requerimento do vereador Maurício da Silva. Uma das propostas é formar uma única escola para disputar um campeonato regional no sambódromo lagunense, inclusive com a participação de outras cidades da Amurel.

Sousa Júnior diz que a ideia já foi levantada em anos anteriores e adianta que a Liesla está disposta a discutir o assunto. “Quem sabe, seria a redenção do nosso carnaval. Pode dar certo”, comenta.

Fonte: Notisul

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA