Relatório aponta que praias de Laguna estão próprias para banho

Relatório aponta que praias de Laguna estão próprias para banho

39
0
Compartilhar
Divulgação

O novo relatório de balneabilidade da temporada de verão, divulgado nesta sexta-feira, 9, pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), órgão que substitui a Fatma, mostra que que as amostragens e ensaios efetuados nos municípios litorâneos catarinenses, apontaram para um aumento no número de pontos próprios para banho.

As coletas realizadas na semana de 05 e 09 de março de 2018 e o relatório completo podem ser acessados aqui ou no aplicativo Praias SC, disponível para Android.

No sul do Estado, Laguna, teve um saldo positivo. Todos os pontos que são estudados pelos técnicos do IMA, estão, de acordo com os dados, próprios para os banhistas. Os locais avaliados são: Lagoa de Cabeçuda, Praia da Teresa, Praia do Itapirubá, Praia do Cardoso, Praia do Gi, Praia do Mar Grosso e a Prainha do Farol de Santa Marta. Os levantamentos na terra de Anita, foram feitos em 06 de março.

“Apesar de ter sido registrada mais uma melhora significativa, pedimos a atenção dos usuários/banhistas para situação do ponto em uso. É que placas estão sendo danificadas, vandalizadas, queimadas e até excluídas do local”, alertou Marlon Daniel da Silva, responsável técnico pelas análises.

O último relatório de balneabilidade da temporada de verão será divulgado no dia 30 de março, depois serão divulgados mensalmente na última sexta-feira de cada mês.

Foto: Fatma/Divulgação
Foto: Fatma/Divulgação

Como a balneabilidade é feita

Para dizer se um ponto é próprio ou impróprio para banho, o IMA analisa a presença da bactéria Escherichia Coli, presente em fezes de animais e humanos. São necessárias cinco coletas consecutivas para se obter o resultado. “Começamos a colher as amostras para o início da temporada em 6 de novembro. Quando em 80% das análises a quantidade da bactéria é inferior a 800 por 100 mililitros, o ponto é considerado próprio”, desta Marlon Silva. Além da estrutura da Fundação, outros dois laboratórios parceiros contribuem para as análises.

Na internet

Durante a temporada de verão, o IMA realiza as análises semanalmente. Assim que os resultados são cadastrados no sistema, o site e o aplicativo são atualizados automaticamente. “Indicamos que se observe o histórico do local. Se, na maior parte do tempo está próprio, a chance de estar contaminado é menor que um local que apresenta um histórico de impropriedade”, explica o gerente de Pesquisa e Análise Ambiental, Oscar João Vasquez Filho, gerente de Pesquisa e Análise da Qualidade Ambiental do IMA.

Fonte: Fatma/IMA

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA