O homicídio de Clóvis Willian dos Santos, 44, mais conhecido como Mukirana, foi elucidado pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Laguna na noite de quinta-feira, 10. As investigações concluíram que a morte aconteceu por motivo torpe, causada por dois adolescentes, segundo informou o delegado Bruno Fernandes, em coletiva na manhã desta sexta-feira, 11.

Os dois jovens de dezessete anos, acompanhados de mais duas adolescentes, foram vistos juntos a Mukirana, entre a noite de domingo, 06, e a madrugada de segunda-feira, 07, em estabelecimentos comerciais da região da praia do Mar Grosso. Segundo a investigação, alterado pelo uso de entorpecentes, o comunicador começou a proferir xingamentos aos casais.

A partir deste momento, a dupla de adolescentes após o desentendimento arquitetou uma emboscada para matar Mukirana. Os jovens convenceram ele a ir até a praia do Gi, para fazer uso de crack, e aproveitando-se de um momento de distração tentaram asfixiá-lo com uma camiseta e na sequência, um dos rapazes começou a golpeá-lo com socos e chutes.

A ação, conforme Fernandes, não foi acompanhada pelas moças que, argumentaram durante depoimento, terem se afastado do local – uma delas, inclusive, está gravida. Ao perceberem que o apresentador estava desacordado, o amarraram com cabos de televisão que estavam dentro do veículo dele e planejaram descartar o corpo na Prainha do Farol.

Diante da possibilidade de serem flagrados, optaram por concluir o crime na praia do Gi. “O porta-malas do veículo estava aberto, quando eles deram ré e frearam ao chegar próximo da água, momento em que o corpo caiu próximo ao mar e, na sequência, auxiliado pelas amarras feitas nas pernas e braços, lançaram o corpo nas águas”, explica Fernandes.

Ainda pela manhã, tendo tomado conhecimento que o corpo havia sido encontrado, os dois jovens iniciaram uma tentativa de se livrar do carro, que foi abandonado na região do Morro da Antena, no bairro Congonhas, em Tubarão.

A DIC de Laguna, com suporte da divisão e da Polícia Militar de Tubarão, obteve informações sobre o paradeiro da dupla e de suas companheiras, e realizou a apreensão deles, com autorização da Justiça em conjunto com o Ministério Público. O pedido foi motivado “para realização de oitivas e recolhimento dos telefones celulares, evitando a destruição de provas”, segundo o delegado.

A apreensão deles foi autorizada pela Justiça em conjunto com o Ministério Público. Ambos encontram-se na delegacia lagunense e devem ser encaminhados para o Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório (Casep) de Tubarão.

Comunicador teve participações na mídia local

Clóvis Willian dos Santos era natural de Florianópolis e morava há pelo menos vinte anos em Tubarão. Iniciou na mídia impressa com participação por diversos jornais locais como Folha da Semana e Notisul, além de promover diversos eventos na região da Amurel e participar de festas como DJ.

Também passou pela televisão apresentando o programa Mukishow, que foi exibido pela TV Barriga Verde (depois TV Bandeirantes de Santa Catarina), Canal 20 e mais recentemente UnisulTV, emissora educativa da universidade, onde ele era aluno do curso de jornalismo. No rádio, fez parte da equipe da extinta Band FM Tubarão (atual Massa FM).

Atualmente estava escrevendo uma coluna no jornal Correio Regional e recentemente lançou o site Notícias da Amurel, com informações da região. Mukirana era presença confirmada em diversos eventos e festas onde conseguiu entrevistas com diversos famosos como a comediante Nani People, o jornalista Roberto Cabrini e a dupla Gian e Giovanni, por exemplo.

Foto: André Luiz/Difusora
Foto: André Luiz/Difusora

1 COMENTÁRIO

  1. Tudo tranqueira ! Drogaditos tem que morrer todos abraçados ! Como diz o ditado diz me com quem andas, que te direi quem és .

DEIXE UMA RESPOSTA

Não esqueça seu comentário!
Seu nome aqui, por favor