Pré-carnaval: Saiba como foi o primeiro fim de semana de apresentações

O pré-carnaval de Laguna, começou com um imprevisto de última hora: o clima. O sol que aparecera durante a semana, deu lugar à chuva que atrapalhou o início do evento na sexta-feira, 01, como programado, pela Liga Independente das Escolas de Samba de Laguna (Liesla).

  • Confira os sambas-enredos e cante com a sua escola preferida.
  • Reveja os desfiles completos no fim da matéria.

“Estamos decidindo como ficará o cronograma. O grande problema é este, e não a chuva. A princípio queríamos mudar para amanhã [sábado], mas há escolas que tem problemas em desfilar, por conta dos profissionais terem outros compromissos”, explicou João de Souza Júnior, presidente da entidade, sobre o cancelamento.

Programadas para saírem à passarela: Brinca Quem Pode, Os Democratas, Mocidade Independente, Vila Isabel e Xavante, guardaram as apresentações para o dia seguinte.

1º dia: homenagens marcam desfile

A incerteza quanto à chuva no sábado, 02, permaneceu até os últimos minutos. A decisão de iniciar o desfile foi tomada pouco antes do começo das apresentações, mesmo com algumas gotas d’água que teimavam em cair sobre a rua Conselheiro Jerônimo Coelho.

O atraso em mais um dia, implicaria em acréscimos no cronograma do pré-carnaval. “Eles vão ter que fazer uma apresentação em outro dia [para compensar a abertura]”, pontuou Márcio José Rodrigues Filho, presidente da Fundação Lagunense de Cultura. A primeira noite oficial de apresentações começou pouco depois das 22h.

  • Mocidade Independente

Com um samba-enredo que fala sobre os mistérios da lua, a mais jovem escola de samba de Laguna abriu os desfiles da noite com a bateria Chapa-Quente, que saiu do ninho da serpente, para alegrar e animar o público que, mesmo com a chuva fraca, cantou com a mais jovem.

  • Vila Isabel

Diretamente do morro, a Vila apresentou um enredo em tributo a um sambista que fez parte da história da agremiação por décadas, se “aposentando” em 2013, ano em que aconteceu o último desfile oficial de Carnaval. Homenageado, Helinho da Vila, ex-puxador da escola, chegou a cantar o samba que falava de sua trajetória. A comissão de frente da Vila, fez menção aos sambistas cariocas da década de 50, por meio dos seus trajes.

  • Brinca Quem Pode

A última a se apresentar na noite, Brinca Quem Pode, apresentou um enredo recuperado do carnaval de 2006, que fala sobre o “misterioso mar”, composição de Alexandre Fortes com o saudoso André Reis. Antes do desfile, a “escola do povo” fez homenagem a Souza Júnior, presidente da liga, que era próximo ao compositor do enredo.

2º dia de apresentações: público é destaque

O mau tempo que permaneceu durante o dia no domingo, 03, não impediu a festa à noite das últimas duas escolas de samba da programação do primeiro fim de semana do pré-carnaval. O público que acompanhou o evento foi o destaque das apresentações, que mesmo com a chuva que insistia em cair de maneira fraca, permaneceu em grande número até pouco antes do final da apresentação da última escola.

  • Xavante

Assim como a Brinca Quem Pode, o Xavante buscou em seus arquivos o samba-enredo de 1992, para reapresentar em 2019. Falando da colonização do território catarinense, a escola aproveitou para inserir em sua comissão de frente, antes da bateria “Ousada”, capoeiristas do grupo Herança Cultural, mencionando a cultura afro.

  • Os Democratas

Se a escola anterior falou dos povos que construíram Santa Catarina, Os Democratas apresentaram à plateia as tradições japonesas falando das gueixas e também da cultura pop, por meio da representação dos personagens de animes (cosplayers). A apresentação da escola fechou o segundo dia. A agremiação fez ainda um minuto de silêncio em lembrança à Sheilla Prado, que seria passista da escola em 2019.

Deixe uma resposta